Logo

Artigos - Visualizando artigo

Balanço Patrimonial: Entenda para que serve esse documento contábil

Através do Balanço Patrimonial, é possível saber informações sobre a situação econômica e contábil de uma empresa.

Por isso, este documento é considerado muito importante para o empreendimento, podendo ser utilizado pelo empresário e seu contador para verificar de forma clara a saúde financeira do seu negócio, além de saber onde estão sendo empregados os recursos.

Serve ainda como fonte de informação para auxiliar em um planejamento estratégico.

Não existe uma regra que prevê prazos para a elaboração do Balanço patrimonial, mas o costume é fazer o documento a cada 12 meses, pois as empresas precisam apresentar suas informações a cada exercício social, conforme determina a Lei 6.404/76.

Sendo assim, dentre as informações que precisam ser colhidas para o documento estão: 

  • Balanço Patrimonial Ativo: é registrado os direitos, aplicações de recursos e bens da empresa, pois, é nesta subdivisão que deve constar os investimentos financeiros e títulos públicos ou privados.
  • Balanço Patrimonial Passivo: obrigações da empresa do ponto de vista financeiro, com o governo, outras companhias e com os colaboradores
  • Patrimônio líquido: trata-se do dinheiro investido pelos sócios e as reservas de capital.

Subdivisões 

Além das divisões do Balanço patrimonial, existem também as subdivisões do balanço patrimonial, composto por ativos circulantes e ativos não circulantes.

Entenda: 

  • Ativo circulante: são recursos utilizados a curto prazo com liquidez maior, sendo assim eles apresentam maior facilidade e velocidade para transformar dinheiro em caixa, como os depósitos em conta corrente, contas a receber, aplicações, estoques, etc. 
  • Ativo não circulante:  são bens de natureza duradoura, que não podem ser transformados em dinheiro de caixa em curto prazo, como imóveis, investimentos, veículos, entre outros.

 

O balanço patrimonial passivo também possui os subtipos circulantes e não circulantes. Veja quais são:

Passivo circulante: se trata das obrigações e contas da companhia em curto prazo, ou seja, as dívidas com fornecedores, impostos, remuneração de colaboradores e empréstimos com prazo curto para quitação.

Passivo não circulante: são as dívidas e obrigações a longo prazo, relacionadas à empréstimos a longo prazo, contas de fornecedores, arrendamentos mercantis financeiros e muitas outras.

 

Fonte: Jornal Contábil


Voltar


Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.

topo site